Reflexões sobre carreira

Alguns insights sobre carreira

Desde os primeiros dias em que havia decidido escrever o blog, comecei a prestar muita atenção em tudo o que diz respeito ao sucesso e, como já comentado em outro post, existem muitas maneiras de obtê-lo. Uma delas é a construção de carreira, um dos caminhos mais abordados por aqui. Nesse tempo, conheci novos insights sobre o tema, seja lendo, experimentando ou apenas observando. Esse post é um compilado dessas reflexões que considero mais importantes:

Propósito – Evoluir na carreira por si só não lhe trará muita satisfação, no final, sobrará a sensação de que você deveria ter aproveitado mais a vida, por isso, suas escolhas devem ter um propósito, uma razão de existirem. Dizem que a vida é curta demais para não ser vivida, mas uma vida com propósito é suficiente.

Objetivos – Percebo que muitas pessoas não sabem aonde querem chegar. A falta de objetivos bem definidos pode ser muito prejudicial, mas é muito mais comum do que se imagina. O problema é que a angústia causada pela liberdade de escolha nos paralisa. A solução é traçar pequenas metas ao longo do caminho, afinal, saber para onde ir é o que te faz levantar e caminhar.

Responsabilidade – Pode parecer clichê, mas, além de você, não existe mais ninguém responsável por sua carreira. A administração dela é exclusivamente sua, não fuja dessa responsabilidade.

Adaptação – Não tem jeito, as coisas vão mudar. A você, cabe se adaptar, aliás, a resiliência é uma das qualidades mais atraentes hoje em dia. Quando estiver sentindo aquele frio na barriga por causa de mudanças que estão por vir, entenda que é uma nova oportunidade para você aprender a lidar com elas, não lute contra a maré, surfe nas ondas.

Competência – Achar que você possui qualidades formidáveis não significa nada, os resultados precisam aparecer, principalmente em momentos de crise, quando ser bom no que faz sequer garante seu emprego. Busque sempre as melhores entregas e supere as expectativas,  essa é a sua melhor oportunidade.

Aproveite o momento – No ensino fundamental, somos incentivados a estudar para chegarmos ao ensino médio mais preparados. Quando chegamos lá, o foco passa a ser a preparação para a faculdade, depois para o estágio, depois o emprego, depois a promoção… A gestão de carreira é muito importante, mas precisamos experimentá-la em todas as suas etapas, aprender com cada passo, planejar o futuro e viver o presente.

Resultados – Existe uma grande tendência a buscar estratégias ou formas de atuação que enalteçam o indivíduo, esse foco em autopromoção deixa as pessoas lentas. Procure as soluções mais práticas e eficientes, não as que você acha que lhe trarão maior visibilidade.

Ego  – Grandes expectativas de sucesso acompanham de perto as novas gerações, a estabilidade econômica fez com que o potencial dos jovens fosse exacerbado e seus egos inflados. Para eles, as promoções aconteceriam com frequência, seriam diretores nos primeiros anos, ou melhor, construiriam sua própria empresa muito cedo. Claro que isso não acontece com a maioria das pessoas e acaba sendo a causa de muito sofrimento. Sidarta Gautama dizia que o sofrimento é algo inerente ao ser humano e sofremos por nossos desejos frustrados, afinal, nos consideramos merecedores daquilo que desejamos. O desapego faz com que você supere esses anseios e, portanto, “feliz é aquele que superou seu ego“. Busque o melhor, mas esteja preparado para o pior.

Ética – Muitas pessoas ainda acham que atalhos ilícitos são caminhos viáveis para o sucesso. O tão cobrado foco em resultados das empresas colabora com essa mentalidade, afinal, para focar uma coisa, é preciso “desfocar” muitas outras, como as regras, por exemplo. O resultado não pode ser construído a qualquer custo, um dia a conta vai chegar. Então, independente das pressões que esteja sofrendo, só faça aquilo que você se sinta confortável em contar para os outros depois.

Humildade – Quanto mais sobe na carreira, mais você sente a necessidade de ser infalível, o que cria um comportamento arrogante e impede a absorção de novos conhecimentos. Entenda que você é um aprendiz, seja lá a posição que estiver, e ainda há muito o que aprender, incorpore isso em todos os aspectos de sua vida.

ComunidadeCrie um exército a seu favor, colabore com o sucesso das pessoas, oriente quando puder, seja prestativo, gentil e educado. É esse o tipo de profissional que todos respeitam e gostam de fazer negócios. Você precisa se conectar, vivemos na economia da reputação, cuide bem da sua.

Trabalho – Talvez esse seja um dos principais insights. Se você quer sucesso, tem que gostar de trabalhar, ponto final. Ninguém obtém êxito (ou pelo menos não se mantém no topo), se não trabalhar muito. Chega de mimimi e mãos à obra.

Quem leu esse post, acessou também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *